Sobre acessibilidade

Serviços

Notícias Mais Notícias

16/05/2017 - 15:45
Esse recurso é muito importante pra gente voltar a trabalhar e ter condições de manter a nossa família”, disse Edna Correia, uma das beneficiadas

O governador Simão Jatene participou da entrega de R$ 246.700,00 em créditos para 66 microempreendedores. O recurso foi destinado através do Programa Credcidadão que, nos últimos seis anos, disponibilizou mais de R$31 milhões em crédito. A cerimônia ocorreu nesta terça-feira, 16, no Palácio do Governo, com a participação da orquestra de percussão da Fundação Pro Paz na abertura do evento.

“Os programas de transferência de renda são importantes, particularmente, para uma sociedade onde a pobreza e a desigualdade ainda são muito fortes”, destacou o governador Simão Jatene. Para ele, a iniciativa é uma oportunidade para quem normalmente não tem acesso ao crédito. “O Credcidadão não é um programa para aquele cliente que pode chegar ao banco comum e fazer uma operação de crédito. Ele é destinado para aquele jovem que está iniciando um negócio, ou mesmo aquele pai de família que busca uma outra oportunidade, ou a mãe de família que busca um outro caminho para complementar a renda”, afirmou Jatene.

O Credcidadão garante geração de renda através de liberação de microcrédito. “São pessoas que administram um negócio, serviços e que a partir daí envolve a família e, portanto, melhora as condições de vida das pessoas”, explicou Tetê Santos, diretora do Credcidadão, ao falar do esforço governamental para manter o projeto. “O Brasil está vivendo uma forte crise que afeta todos os Estados da Federação brasileira, mesmo assim o governador Simão Jatene não tem medido esforços para levar adiante as ações do Credcidadão”, garantiu.

A recente inovação do programa é o crédito destinado às famílias que são atendidas pelo Pro Paz. Onze famílias foram contempladas nessa entrega. Marluce Peixoto conseguiu um crédito de R$2 mil para investir em uma pequena lanchonete. A dona de casa já faz planos para o futuro do filho Kelvin, que participa do Polo Pro Paz Sacramenta. “Quero investir nos estudos do meu filho. Esse crédito é como uma bênção em nossas vidas, porque vai me dar a oportunidade de ter um negócio próprio e aumentar a nossa renda familiar”, afirmou Marluce.

Na ocasião, também foram concedidos créditos para batedores de açaí e egressos do Sistema Penal. “Quando vim para o regime semi-aberto, em 2013, decidi que ia investir em confecções, que era algo que eu tinha habilidade, mas não sabia como investir no negócio sem ter crédito na praça. Esse recurso é muito importante pra gente voltar a trabalhar e ter condições de manter a nossa família”, disse Edna Correia, uma das beneficiadas.

Ressocialização - A parceria entre a Susipe e o Credcidadão começou em julho do ano passado. O benefício do microcrédito já foi concedido a 13 egressos do sistema penitenciário e teve investimentos de mais de R$ 32 mil reais. Agora, o programa expandiu a linha de microcrédito para os detentos monitorados e também em prisão domiciliar. 

A egressa Shirlene Erica Soares, de 33 anos e o marido dela também egresso, Diego de Oliveira, de 27 anos, decidiram investir juntos em um negócio. Com o dinheiro que conseguiram, eles compraram um carrinho de madeira para fazer a venda de frutas nos bairros da Marambaia e Guanabara.

O empreendimento deu certo e hoje eles já pensam na expansão. “Agora já estamos pensando em ter uma barraca na feira também e aposentar o carrinho, pois aí teríamos mais tempo para nossos filhos”, disse Shirlene Erica. “Daqui pra frente nós só queremos crescer, ir aperfeiçoando o que já começamos e assim podemos dar uma vida melhor para nossos filhos”, complementou o marido.

Neide Azevedo, coordenadora de Assistência ao Egresso e Família (CAEF) da Susipe, informa que, em breve, será formalizado um termo de cooperação técnica com o Credcidadão. “Teremos fixo um valor mensal de R$ 30 mil para disponibilizarmos aos egressos. Isso ainda não foi oficializado, mas a nossa expectativa é firmar este convênio ainda este ano. No mesmo termo também iremos capacitar essas pessoas, de forma que elas aprendam a gerenciar o próprio negócio”, destaca.

Até o momento, pelo menos oito tipos de empreendimentos já foram iniciados a partir da disponibilização dos recursos, com atividades voltadas para a venda de frutas, lanches, frango e açaí, lava-jato, mercearias e lavanderias. De acordo com a coordenadora da CAEF, a expectativa é que em 2017 pelo menos 100 egressos consigam o benefício e que os investimentos ultrapassem R$ 300 mil reais.

(Com informações da Ascom Susipe)

Por Dani Filgueiras